Cansado de tanto...

   Desilusões com familiares, desilusões com amigos, desilusões com chefias, desilusões com a vida, desilusões com emprego, desilusões com isto, desilusões com aquilo, e...
   Quando tocamos em várias partes do nosso corpo com o mesmo dedo, e em todas essas partes tocadas sentimos dor, é muito provável que tenhamos o dedo partido... dói sempre que tocado!
   Da mesma forma, quando tudo à nossa volta está errado, possivelmente somos nós que estamos errados. Culpamos fora de nós por nos ser difícil, diria até quase insuportável, assumir que estamos errados, que precisamos urgentemente mudar.
   Precisamos mudar algo em nós, e muitas vezes, bastaria termos o discernimento de olhar "para fora de nós" da mesma forma que olhamos para nós. Ou seja, defendendo, compreendendo, e não criticando ou culpando de tudo!
   Na realidade os problemas nem existem, por isso têm a dimensão que cada um quer dar... uns trabalham com doenças graves, enquanto outros estão acamados com uma constipação... uns são grandes com ordenados miseráveis e outros são miseráveis com ordenados grandes - a dimensão é criada por nós.
   Olhe "fora de si" para o problema, olhe como se o problema fosse de outra pessoa, ou como se você fosse outra pessoa, e terá outra perspectiva do problema, talvez ele não seja tão importante assim, tão difícil de entender, tão difícil de resolver como parece.
   Famílias que se zangam por anos e anos, muitas vezes por coisas insignificantes (conheço uma família que não se fala há mais de 20 anos por causa de um vaso com flores num vão de escada), por não pensarem pelo outro, por nunca terem estado naquela situação, com a vida e os pensamentos que o levaram até aquele momento.
   Casais que se separam por incompreensão, por teimosia, por falta de cedência, ciúmes, provocações baratas... mas que um dia: é tarde demais para eliminar o dito, o feito.
   Pais com filhos, filhos com pais, irmãos, casais, amigos, familiares, colegas... todos sem excepção, um dia partilham destes problemas, destas situações. Serão entendidos pelos familiares e amigos da mesma forma que hoje entendem os outros.
   Atraímos para nós na mesma vibração do que somos; ou seja, estamos rodeados por pessoas similares a nós, por isso de quando em quando alguém comenta que conheceu uma pessoa assim ou assado... uma pessoa espectacular... precisamente por estar noutra vibração.
   Essa pessoa "espectacular" por sua vez, tem no seu circulo de amigos e colegas pessoas da mesma sintonia: espectaculares, em que possivelmente você é uma dessas pessoas espectaculares, só que você não sabe que aos olhos dessa pessoa é tão espectacular. É assim porque essa pessoa olha para todos dessa mesma forma. 


A mudança aconteceu dentro dela, não fora dela.

   Todos somos muito bons a dar conselhos, porque a vida é do outro e é fácil "apoiar", esteja certo ou errado defendemos o(a) amigo. Pode não ser o melhor para a situação ou para as pessoas envolvidas, mas somos "grandes" a dar conselhos miseráveis e mesquinhos o suficiente para dar conselhos baratos. Da mesma forma que o "amigo", fragilizado ou cansado, aceita o miserável conselho como sendo a melhor solução.
   Descartam-se pessoas em prol de um certo ou de um errado problema e igual julgamento... pois é fácil julgar. Difícil é ser julgado... mas, amigos, cá se fazem, cá se pagam! 
É a lei-de-causa-e-efeito.

   A maioria das pessoas que pensam ter grandes problemas, não sabem que o problema são "elas mesmas".
O sábio quando sabe que não tem nada a acrescentar de Bom, de Positivo... Fica calado!
Vamos ser muito inteligentes e pensar com o cérebro;
Vamos igualmente ser o animal mais inteligente ao cimo da Terra, 
e permitir que o coração seja o guardião dos nossos pensamentos!

Dessa forma será difícil "pensar erradamente".

Joaquim Coelho

Sem comentários:

Ocorreu um erro neste dispositivo